skip to Main Content
(+351) 933 371 926 geral@osenhordobanco.pt

Está farto de ouvir falar em Euribor, certo? Então leia esta artigo e veja finalmente do que se trata!

Está Farto De Ouvir Falar Em Euribor, Certo? Então Leia Esta Artigo E Veja Finalmente Do Que Se Trata!

É só ligar o jornal, ou passar os olhos em alguma notícia a propósito de crédito habitação ou financiamentos em geral que ouvimos ou lemos o termo “Euribor”, seguido de – ela desceu, ela subiu, ela tende a descer ou a subir. Por mais que não saibamos exatamente o que as taxas Euribor significam, percebemos que elas têm impacto nas nossas carteiras e que uma subida é vista como uma má noticia para os consumidores, assim como uma descida é bem vista, mas o que são essas taxas e porque são elas tão importantes? 

As Euribor, ou  Euro Interbank Offered Rate, “nasceram” em 1999 no ano que em foi introduzido o euro, são as taxas formadas a partir da média dos juros dos empréstimos praticados, num determinado prazo, por um painel de bancos composto por cerca de 25/40 relevantes instituições europeias. É normal achar que as taxas Euribor sejam na verdade “a taxa Euribor”, porém pelo facto de existirem diferentes prazos a serem praticados, verifica-se a composição de taxas distintas em conformidade com esses períodos. As mais usuais em Portugal, são a Euribor a 3 e a 6 meses no crédito habitação, sendo que mais recentemente, devido à descida das taxas de juro, os Bancos adotaram a de 12 meses, sendo esta a que está maioritariamente a ser usado nos dias de hoje. 

O impacto gerado pelas taxas Euribor será diretamente refletido nas prestações a pagar em contratos de taxa variável. Se fizer a contratação de um empréstimo com essa modalidade de taxa, saiba que essa variabilidade é fundamentada na oscilação da taxa Euribor no prazo acordado, geralmente no período de 3, 6 ou 12 meses para o financiamento de um imóvel. Pois os juros num contrato de crédito habitação, nomeadamente a TAN, são calculados a partir da soma do spread bancário, o valor fixo acordado com o banco ou a margem de lucro bancária, e a Euribor. Nesse sentido a taxa será revista de acordo com o intervalo de tempo contratado, em geral consoante a média mensal da Euribor relativa ao mês anterior àquele em que se verifica a revisão do crédito, é preciso certificar se será essa a relação contratual a ser assinada ou se será de outra forma. Dessa maneira, as prestações poderão ser alteradas para cima ou para baixo, em conformidade com essa correção.

Para a escolha do prazo, referente ao reajuste da Euribor, é sabido que as taxas dos períodos mais curtos são historicamente mais baixas. A Euribor 6 meses tem tido um valor menor que a Euribor 12 meses nos últimos anos. Porém há a desvantagem desta taxa ser revista com maior frequência o que pode causa um impacto positivo em um período de crise, época em as taxas estão a descer para estímulo da economia, mas em tendências de crescimento, a revisão com mais frequência pode fazer com que as prestações subam mais rapidamente.

As Euribor também são importantes pois servem de referência para as poupanças. A maior parte dos depósitos a prazo seguem a tendência das Euribor para definir o quanto será pago ao depositante, assim taxas maiores representam ganhos maiores assim como, taxas menores representam ganhos menores.

Em síntese, se vai pedir um crédito habitação e optar por taxa variável, as suas prestações estarão relacionadas ao comportamento da Euribor. Caso exista uma subida da Euribor, a prestação referente também deverá ser subir, assim como, se houver uma descida a prestação irá descer. Portanto, acompanhar as tendências das Euribor e do mercado podem ajudar-lhe a obter ganhos de capital ou poupanças em créditos. 

Quando for solicitar um crédito não deixe de pedir ajuda especializada, O Senhor do Banco está sempre disponível para ajudar a conseguir as melhores soluções.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *