skip to Main Content
(+351) 933 371 926 geral@osenhordobanco.pt

“Os clientes irão cada vez mais recorrer aos Intermediários de Crédito”

“Os Clientes Irão Cada Vez Mais Recorrer Aos Intermediários De Crédito”

“Somos intermediários de crédito, mas somos igualmente mediadores imobiliários e agentes de seguros. Desta forma, conseguimos dar resposta a uma série de necessidades que decorrem da compra de um imóvel”, afirma Pedro Pedrosa, Diretor Geral de O Senhor do Banco, que nos deu a conhecer um pouco mais sobre o mercado da intermediação de créditos e das principais mais valias que a marca que representa aporta ao mercado.

O Senhor do Banco é uma empresa portuguesa na área da intermediação de créditos. Que resenha é possível fazer acerca do crescimento da intermediação de créditos no mercado português?

A regulação desta atividade pelo Banco de Portugal veio dar mais credibilidade a um setor no qual há muita desconfiança devido a burlas que ainda existem. No entanto, o facto de sermos hoje uma atividade regulada, restringe o acesso à atividade, o que é benéfico para o cliente. Nós temos um serviço independente e sem qualquer custo para o cliente, pelo que de futuro, acredito que os clientes irão cada vez mais recorrer aos intermediários de crédito.

Quais são hoje os níveis de intervenção da marca perante o mercado e de que forma é que a vossa atuação é distinta de outros players do setor?

Somos uma empresa pequena, focada na qualidade e proximidade de serviço. É essa proximidade e relação de confiança que criamos com os clientes que nos distingue! Um exemplo: sempre que possível, acompanhamos os clientes na escritura, porque temos a consciência de que o facto de estarmos presentes retira ansiedade ao cliente.

Porque linhas orientadoras se regem de forma a prestar um serviço de qualidade e confiança na identificação das melhores condições para particulares e empresas?

Vou dar um exemplo de algo que se passou há cerca de ano e meio e que ilustra bem a nossa forma de estar. Tivemos uma cliente a quem apresentámos várias soluções, tendo identificado a mais competitiva. No entanto, a própria cliente teve uma proposta do Banco onde tinha conta, curiosamente um dos poucos Bancos com que não trabalhamos. Após análise, percebemos que de facto aquela era a opção mais vantajosa naquele caso, pelo que dissemos à cliente, “avance com o seu Banco”. A cliente ficou surpreendida, pois sabia que não receberíamos nada pela prestação dos serviços e prontificou-se a pagar-nos uma comissão do seu bolso, por entender que sem nós não teria sequer percebido que aquela era a melhor proposta. Prontamente recusámos essa oferta, mas desde então já fomos “recompensados” com três clientes recomendados por essa pessoa. O nosso foco não é no montante de financiamento, não é no número de processos, não é nas comissões que os Bancos nos pagam, o nosso foco é exclusivamente no cliente, porque cada cliente satisfeito, representa o sucesso do nosso trabalho e do nosso negócio.

Têm como uma mais-valia, trabalhar com as principais instituições financeiras e imobiliárias a operar em Portugal. Como é que tentam encontrar as melhores soluções de forma a se tornarem um parceiro ideal com um serviço credível e de confiança?

Prestação do serviço mais completo. Somos intermediários de crédito, mas somos igualmente mediadores imobiliários e agentes de seguros. Desta forma, conseguimos dar resposta a uma série de necessidades que decorrem da compra de um imóvel. Recorremos aos nossos parceiros no imobiliário para ajudar o cliente a encontrar o imóvel que pretende, encontramos as melhores condições de crédito, negociando sempre que possível a subscrição dos seguros fora do Banco e apresentamos soluções alternativas, que no caso do seguro de vida, chegam a poupar milhares de euros.É através da ambição de melhorar de dia para dia, em parceria com os vossos clientes, que procuram ser referência no aconselhamento financeiro em Portugal?

Não temos a presunção de achar que temos as respostas todas, mas temos a certeza de que procuramos soluções para todos os problemas que possam surgir e que a experiência que temos acumulada e o que continuamos a juntar todos os dias, posiciona-nos como o melhor parceiro para encontrar a dita solução.

Como pode ser descrito o crescimento da empresa num universo competitivo como é o caso do setor da intermediação de créditos?

O nosso foco é na qualidade de serviço, não na quantidade de processos. Não temos ambição de crescer rápido, temos a ambição de crescer bem, de forma gradual e sustentada. Podemos dizer com orgulho que em quase três anos de atividade e algumas centenas de processos, até à data de hoje, não tivemos qualquer reclamação do nosso serviço. Acreditamos que esta será a chave do nosso sucesso e assim iremos a médio prazo competir com maiores players.

Quais os desafios a curto/médio prazo para O Senhor do Banco?

O nosso maior desafio será perceber como podemos recorrer à tecnologia para melhorar o nosso serviço e o tempo de resposta aos nossos clientes, sem no entanto, comprometer aquilo que mais nos distingue, que é a relação de proximidade humana com que investimos em cada processo.

Esta entrevista foi originalmente publicada por a revista Pontos de Vista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *