skip to Main Content
(+351) 933 371 926 geral@osenhordobanco.pt

É trabalhador Independente e quer saber se pode pedir um crédito habitação? Nós explicamos.

É Trabalhador Independente E Quer Saber Se Pode Pedir Um Crédito Habitação? Nós Explicamos.

Atualmente, são muitas as pessoas que trabalham como empresários em nome individual (ENI), passando recibos verdes ou tendo o seu próprio negócio. A incerteza neste tipo de contrato/serviço, faz com que os Bancos sejam mais exigentes na hora de conceder crédito, quando comparado com os trabalhadores por conta de outrem, mas o facto de ser mais difícil, não significa que seja impossível. Neste artigo, vamos dar-lhe alguns pontos que deve considerar se for ENI e estiver a pensar pedir um crédito habitação: 

1º Cálculo da taxa de esforço: 

O cálculo da taxa de esforço para um trabalhador independente é diferente da de um trabalhar por conta de outrem e varia ainda com a atividade do ENI e de Banco para Banco. Numa situação em que se recebe por recibos verdes, o Banco assume que tem responsabilidades a pagar, tais como impostos e segurança social. Assim, se receber 1.000€ por mês, o Banco só irá considerar para calcular a taxa de esforço, um valor entre os 60% a 70% disso, ou seja, dependendo do Banco, irão considerar como vencimento líquido mensal, entre 600€ a 700€. Por outro lado, se for ENI com uma atividade de restauração, por exemplo, será tido em conta o lucro obtido nos últimos anos, pelo que, será ainda mais difícil a concessão de crédito sem garantias adicionais.

2º Antiguidade: 

Nos ENI’s, não há efetivos, é um trabalho onde a qualquer momento pode terminar o contrato de prestação de serviços, ou a atividade em si, por isso numa situação em que tenha iniciado a atividade há pouco tempo, (menos de 2 anos, por exemplo), será improvável que consiga aceder a crédito sozinho, ou sem garantias adicionais. No IRS, no anexo B, ponto 13, “informações complementares”, constam os rendimentos dos ENI’s nos anos “N”, (ano da declaração de rendimentos em questão), “N-1” (ano anterior) e “N-2” (dois anos anteriores) e esta informação será fundamental para conseguir aceder ao financiamento, já que não existindo efetividade, a antiguidade na função e a estabilidade de rendimentos, será essencial para o Banco aceitar conceder-lhe crédito. Assim, se estiver no inicio da atividade, deverá aguardar mais algum tempo até ter no mínimo 2 anos completos de atividade, para avançar com a análise junto dos Bancos. 

3º Garantias adicionais: 

Não sendo impossível de um ENI conseguir crédito habitação sozinho, a verdade é que será sempre mais fácil se forem dois titulares, preferencialmente em que um deles seja trabalhador por conta de outrem, com situação de efetividade. Mas há outras hipóteses, no caso de querer comprar casa sozinho, nomeadamente, apresentar fiadores por exemplo. Os pais são sempre os fiadores preferidos dos Bancos, mas a fiança pode ser prestada por irmãos, tios, primos, filhos ou mesmo um amigo, o importante é que seja alguém que de facto venha acrescentar segurança à operação e ajude o Banco a confiar-lhe o empréstimo. Outra alternativa, será dar mais entrada do que o habitual. Sabemos que atualmente o valor mínimo de entrada é de 10%, por isso se conseguir juntar  mais dinheiro e apresentar 20% ou mesmo 30% de entrada, poderá ajudar o Banco a decidir-se conceder o crédito, sem pedir fiadores, por exemplo. 

4º Diminua os seus encargos mensais: 

Se vai pedir crédito habitação, trate primeiro de “limpar” as suas dividas e deixar o seu mapa de responsabilidades de crédito mais composto. Do ponto de vista do Banco, um ENI já apresenta mais risco e se tiver vários créditos e cartões de crédito, pior um pouco. Tente libertar-se de dividas dos cartões de créditos e se tiver vários cartões, ainda que não estejam a uso, cancele alguns, porque para o Banco, o facto de hoje não estarem em divida, não significa que não venham a estar e o cancelamento de alguns cartões, diminui o potencial de endividamento.

Demonstre aos Bancos que é uma pessoa organizada e com serviço estável, faça com que se sintam confortáveis em conceder-lhe o crédito. Um financiamento tem como base a confiança de que o valor será pago e quanto maior a confiança do Banco, mais fácil receber uma resposta positiva. Não se limite a fazer a simulação de crédito apenas no seu banco habitual, recorra a várias instituições e peça simulações para avaliar o seu caso. Pode sempre contar com a ajuda de O Senhor do Banco para acompanhar o seu processo e indicar os melhores meios para conseguir a aprovação, tratamos de todo o processo sem qualquer custo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *