skip to Main Content
(+351) 933 371 926 geral@osenhordobanco.pt

Seguro de Recheio, o que é? Vale a pena?

Seguro De Recheio, O Que é? Vale A Pena?

Você já ouviu falar em Seguro Recheio / Conteúdo? Sabe se o seu seguro Multirriscos tem esta cobertura? Muitos não sabem sequer o que engloba esta cobertura, outros acreditam que ela já esteja incluída nos seguros obrigatórios do Crédito Habitação, nomeadamente o seguro multirriscos – que deve estar ativo durante todo o período do financiamento. No entanto, o multirriscos que é onde esta cobertura pode ser opção, por defeito, cobre danos estruturais do imóvel mas não contempla o que está no interior deste imóvel, ou seja, os vossos pertences. 

Quando contratamos um Crédito Habitação é exigido, pela instituição que está a emprestar o dinheiro, que os titulares façam 2 tipos de seguros, que devem estar ativos durante todo o período do financiamento. Um seguro de vida, relativo aos titulares e um seguro multirriscos, relativo ao imóvel, afinal o banco precisa ter garantias de que o imóvel estará protegido de algumas adversidades. Porém, o seguro multirriscos cobre apenas danos estruturais ao imóvel, ou seja, se ocorrer por exemplo um incêndio e o imóvel apresentar danificações nas paredes, por exemplo, esse seguro cobrirá a reabilitação do imóvel, no entanto, se nesse mesmo acidente você tiver perdido alguns utensílios, como máquinas ou quaisquer coisas que tenham avariado será da sua responsabilidade, não sendo cobertos pelo seguro multirriscos, a menos que tenha incluído a cobertura de recheio/ conteúdo. Lembre-se esse seguro é feito para assegurar o património do banco e enquanto você ainda está a pagar o crédito, contudo esse património é apenas o imóvel e não o que há dentro deste, que é de sua total responsabilidade.

Então, o que é o Seguro de Recheio/ Conteúdo? Após saberem os seguros obrigatórios pelo Crédito Habitação e perceberem que os vossos pertences não estão incluídos por defeito, daremos enfâse ao Seguro de Recheio/ Conteúdo. 

É natural que após comprarmos um imóvel se façam investimentos para o compor, como equipar a cozinha, os quartos e os ambientes em geral, podemos despender milhares de euros para o fazer tendo em vista às necessidades de cada família, dessa forma é possível que o seu recheio ou o conteúdo dentro do seu imóvel chegue a valer 25.000€ mais ou menos, que não estarão cobertos caso ocorra algum sinistro. É exatamente para esta proteção que se faz um Seguro Recheio/ Conteúdo, para assegurar o que há dentro do seu imóvel. Sendo que este seguro, dependendo do valor do recheio, pode chegar a custar algo em torno de 50€ a 60€ / ano, sendo um valor pouco expressivo em compensação do que se pode perder.

Quais são as coberturas deste seguro? Elas variam conforme a oferta de cada seguradora e o contrato que se está a fazer. Seguem alguns pontos que podem ser interessantes terem a cobertura:

– Em caso de furto ou roubo – em algumas coberturas é possível incluir danos colaterais a este infortúnio, como se por exemplo tenha a porta partida por essa ação criminosa, o seguro pode além de cobrir os pertences cobrir este dano.

– Danos considerados graves – como vandalismo, incêndio, raios, exposição solar, catástrofes naturais, danos por água, choque de veículos e etc.

– Outros danos menos graves – queda ou quebra de objetos, riscos elétricos, causados por fumo ou calor, entre outros.

– Responsabilidade civil – aquela que cobre danos provocados a terceiros.

Assim sendo, vale a pena ter o seguro? Nós d’O Senhor do Banco acreditamos que sim, devido a compensação do custo anual associado ao benefício de se proteger os seus bens.

Mas como faço uma avaliação do meu património para poder contratar esse seguro? A primeira atitude é listar todos os bens que quer proteger e precificá-los da forma correta, ou seja, se for precisar comprar uma máquina de lavar loiça como a sua, quanto deve pagar? Não use montantes acima ou abaixo dos valores necessários para a aquisição de um novo bem, saiba que a apólice é calculada com base nesse valor, se estiver a sobrevalorizar um equipamento estará a pagar mais na apólice sem necessidade e se estiver a subvalorizar, quando vier a precisar da cobertura não terá o suficiente para a reposição do item. 

O que deve estar nesta lista? TUDO o que quiser assegurar, desde vestuário, mobiliários, loiças, equipamentos e etc. Vá a cada canto da sua casa e anote tudo o que quer assegurar para depois inserir os preços. 

Atenção aos bens especiais! Há bens que são considerados especiais e devem ser classificados como tal, sendo que esses bens podem ser: jóias, coleções, obras de arte, peças de antiguidade e etc. É importante salientar que esses bens devem ser reportados com o valor real de mercado, por isso poderá ser solicitado uma avaliação específica para o tipo de artigo. Caso não o faça, tenha atenção pois na ocorrência de sinistro podem não cobrir o valor suficiente. Uma observação é que, dependendo da discriminação de cada seguradora, há um teto para a cobertura desses bens.

Após listar e precificar todos os itens, tenham o cuidado de adicionar um percentagem simbólica, pode ser à volta dos 10% do valor total, para se prevenir de qualquer esquecimento ou ainda do aumento do preços, caso ocorra um sinistro após alguns anos da contratação do seguro. Entretanto saiba que pode sempre atualizar o capital assegurado, sendo essa ação da sua total responsabilidade. Sugerimos que deixe um lembrete na sua agenda para rever esses valores, pelo menos 1x por ano, caso não tenha adquirido nada de valor  nesse mesmo período. Mantenha sempre o seu seguro atualizado para não ter surpresas negativas na hora que precisar da cobertura.

Chamamos uma atenção para a hora de contratação da apólice a propósito do tipo de contemplação da indemnização, sugerimos que contrate o seguro de recheio com indemnização por inteiro. Principalmente equipamentos informáticos e eletrónicos tendem a se desvalorizar ao longo dos anos, por essa razão algumas apólices podem utilizar desse argumento para reduzir o valor da indemnização com base na antiguidade desses elementos. Assim sendo, caso ocorresse um sinistro estaria a contar com um valor de indemnização que seria reduzido de acordo com o tempo de vida deste bem, o que nem sempre é o esperado por alguém que esteja a contratar um seguro de recheio, dessa forma opte pelo seguro por inteiro caso queira receber a indemnização por completo.

Em síntese, é possível perceber a importância desse tipo de seguro para o seu património, pois além de lhe custar pouco face ao benefício atribuído, na ocorrência de um sinistro, dar-lhe-á uma maior segurança e conforto em situações extremas. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *