skip to Main Content
(+351) 933 371 926 geral@osenhordobanco.pt

Saiba quais são os custos e encargos que tem no crédito habitação!

Saiba Quais São Os Custos E Encargos Que Tem No Crédito Habitação!

Você que está à procura de casa para comprar e que irá  pedir um crédito habitação para realizar esta operação já deve ter ouvido a pergunta do seu gestor ou intermediário de crédito“O(A) Senhor(a) tem algum montante disponível para pagar os custos do processo?”. Muitos clientes ficam surpresos quando também fazemos esta pergunta e foi pensando nisto que organizamos este artigo, a fim de esclarecer que custos e encargos são esses. Entretanto, como pode haver alteração nos valores, vamos focar-nos mais em listar os principais custos e encargos associados ao crédito habitação e não na quantia cobrada por cada instituição, pois são variáveis de acordo com o montante e banco escolhido e estarão sempre informados quando receber a sua simulação (FINE).

O principal custo de um crédito habitação é a sua Taxa de Juros. Ao olhar para uma simulação é normal que a primeira análise seja a propósito da TAN (Taxa Anual Nominal) que remete à soma do indexante (EURIBOR) mais o spread (margem cobrada pelo banco para conceder o empréstimo) e à TAEG (Taxa Anual Efetiva Revista). Saiba que a TAEG contempla todos os custos do seu crédito durante o período por isso é imprescindível olhar para além dos famosos spreads

Outros custos que devemos levar em consideração são os seguros obrigatórios ao crédito habitação, nomeadamente os seguros de vida dos titulares e o seguro multirriscos. Muitas pessoas chegam a desconsiderar esses custos, porém eles têm um impacto significativo ao longo de todo o prazo do financiamento. É importante destacar que você pode optar por seguros de outras companhias que lhe sejam mais favoráveis, não é obrigatório aceitar o seguro indicado pelo banco, que na maior parte dos casos é mais caro do que os seguros feitos em outras instituições. No entanto poderá ocorrer o agravamento do spread em algumas instituições financeiras se optar por fazer os seguros sem ser pelo  Banco, por isso esteja sempre atento as condições descritas nas simulações de cada banco. 

Por mais que esses sejam os principais custos vinculados ao crédito habitação, eles são diluídos ao longo do tempo, pois são remetidos a cada prestação. No entanto há outros custos e encargos que terão de ser pagos, logo no início do processo na contratação do crédito habitação e da compra da casa. Esses valores são menos conhecidos para o cliente e são esses que queremos frisar neste artigo, pois terá de ter esse montante disponível se pretende avançar com o seu crédito habitação.

Comissões bancárias – quando pedimos um crédito habitação deve ter em conta que cada banco apresentará as suas comissões que correspondem a um valor cobrado pela prestação dos serviços bancários. Algumas comissões são fixas e devem ser pagas apenas uma vez e outras serão cobradas por todo o prazo do empréstimo. Veja alguns exemplos dessas despesas fixas, que dependem de cada instituição, que devem ser pagas antes ou no momento da contratação do financiamento:

  • “Comissão e despesas de abertura do crédito”; “Comissão de processo”; “Comissão de dossier”; “Comissão de estudo”; “Comissão de gestão” – essas são as comissões que os bancos cobram para abrir o processo do crédito habitação, cada banco possui o seu valor para tal e uma nomenclatura própria;
  • “Análise e estudo de viabilidade do crédito” – alguns bancos cobram para que haja a análise de viabilidade do crédito e outros não. Ter em atenção se esta comissão é  cobrada no caso de recusa do financiamento;
  •  “Comissão de avaliação do imóvel” – essa comissão será cobrada para que se realize a avaliação do imóvel a ser financiado;
  • Comissão de formalização e escritura”; “Preparação de escrituras/Minutas para escrituras” – poderá ser cobrado o serviço para esta preparação;
  • Imposto do selo sobre utilização de crédito – esse imposto é referente ao financiamento e é sempre cobrado de acordo com o montante financiado, sendo que uma vez que se trata de imposto, é  um encargo que irá o estado e será  igual independentemente do Banco escolhido para o financiamento.

Algumas das comissões que acompanharão o crédito em todo o período podem ser: 

  • Comissão de Liquidação de Prestação”; “Comissão de processamento”;
  • “Comissão de Manutenção da Conta à Ordem.

Esses custos serão peculiares conforme o banco escolhido, podendo até mesmo serem isentos em alguns casos ou para alguns clientes, também é possível que sejam listadas outras despesas dependendo da instituição bancária, por isso aconselhamos que esteja sempre atento as informações da sua simulação (FINE). 

Outros custos que também deverão ser cobrados:

  • “Registo da hipoteca da Hipoteca” – O registo da hipoteca na conservatória é um encargo para o cliente que é igual independentemente do Banco, visto que apesar de estar a pagar ao Banco, servirá para eles fazerem o registo da hipoteca mais tarde. 
  • Escritura ou Documento particular autenticado (DPA) – Deverá ser  ainda pago a escritura em si, que é um serviço prestado por um notário, uma conservatório ou um advogado, no caso de ser escriturada através de DPA. 

Também deverão ser pagos os impostos referentes a compra do imóvel, são eles: IMT (Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis), Imposto de Selo sobre a Compra e Venda e o IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis).

  • IMT é aplicado, de forma pontual, sempre que há a transmissão do imóvel. Esse imposto deve ser liquidado antes da escritura, por isso deve ter esse valor disponível para pagamento a pronto, no caso de não estar dentro das regras das isenções. Por exemplo, se pretender comprar um imóvel para habitação própria permanente com valor de aquisição inferior a 92.407 euros, estará isento do pagamento deste imposto. 
  • Imposto de Selo sobre a Compra, sendo este imposto também cobrado momentos antes da escritura, pelo que também tem de ter este capital disponível, correspondendo a uma percentagem do valor de aquisição. 
  • IMI é um imposto municipal que é pago anualmente, e que varia de acordo com o Valor Patrimonial Tributário associado ao imóvel. Porém também há isenções para o IMI em alguns casos, como se for feita a aquisição de imóvel de VPT até € 125.000, pode beneficiar de uma isenção de IMI durante 3 anos, desde que não tenha rendimentos superiores a € 153.300 (art. 46.º EBF) e até ao  máximo de duas isenções. 

            De referir que todas estas despesas estão obrigatoriamente listadas nas várias simulações dos Bancos, no entanto, no meio de tanta informação é natural que para os olhos menos treinados, possam passar despercebidos. Assim, recomendamos que falem com O Senhor do Banco para acompanhá-lo nesse processo e ajudá-lo em todos os momentos do seu crédito habitação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *